sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Área de lazer da Dias da Cruz foi suspensa autoritariamente

Dezembro | 2013 Ano IV – Edição 54 – AMME – Jorge Barata

Coluna AMME - Jorge BarataÁrea de Lazer da Dias da Cruz foi suspensa autoritariamente
Apesar da AMME ter se manifestado contrariamente, o poder público municipal cancelou a área de lazer da rua Dias da Cruz, durante o mês de dezembro, de forma autoritária, sem sequer conversar. Nos anos anteriores, por acordo antigo entra as associações de moradores e comerciantes, a rua Dias da Cruz ficava aberta dois domingos antes do Natal, aceito consensualmente como suficiente. Infelizmente parece que quiseram puxar o saco dos poucos comerciantes que abrem aos domingos neste mês. Podem ter ganhado a simpatia desses comerciantes para as eleições do ano que vem, mas, com certeza, ganharam a antipatia da grande maioria da população. Inclusive, sem aviso prévio, eles têm deixado sem lazer a Dias Da Cruz em outros feriados. Enviamos e-mail ao Prefeito relatando essas situações e vamos tentar conversar pessoalmente.
Esperamos que em 2014, não mexam no funcionamento desse espaço.

Multas
As multas da Rua Hermengarda estão chegando; aconselhamos a todos que recorram. Se quiserem adaptar as suas argumentações às sugeridas por advogado, visitem nosso blog: ammemeierrj.blogspot.com.br. Quanto a esse assunto, o Subprefeito não nos retornou sobre a reunião com o Secretário Municipal de Transporte. Não devemos desistir. Insistiremos com as nossas reivindicações.

Meio Ambiente
O Méier precisa de um intenso plantio de árvores. Alguns comerciantes mandaram cortar, para não esconder seus letreiros, não ter trabalho de limpar as folhas ou até mesmo desapego a nossa natureza.
Muitas árvores bonitas e frondosas foram cortadas pelo poder público. É preciso replantar e punir aqueles que matam as árvores com objetivo de melhor visualização de suas empresas.

Desejamos a todos Feliz Natal e Próspero 2014!

Multas abusivas irritam moradores

Novembro | 2013 Ano IV – Edição 53 – AMME – Jorge Barata

Coluna AMME - Jorge BarataMultas abusivas irritam moradores
Multas aplicadas através de pardal na Rua Hermengarda, revoltam os moradores do Grande Méier. A velocidade máxima naquele local era de 60 km/h e baixaram para 40 km, sem aviso prévio. Com isso várias multas foram aplicadas, pois os moradores estavam acostumados a praticar a velocidade antiga e a sinalização não foi colocada devidamente.  Além de que é uma vergonha as dependências do posto. Enormes filas, o calor insuportável, sem bebedouro, o sistema que cai toda hora (fazendo a demora aumentar) e o péssimo atendimento dado a quem vai recorrer das notificações/multas no posto de atendimento da SMTR, dentro da XIII RA, na Rua 24 de Maio ,931, no Eng. Novo. Pessoas que ficam horas na fila e só sabem que não adiantava estar lá, pois, o sistema, além disso, só aceita recursos até a data que consta na notificação, mesmo estando dentro dos 20 dias de prazo da chegada da notificação.  Sequer dão um recibo, pedindo para aguardar a multa, depois de esperar e sofrer na fila.
Pelo jeito foram milhares de pessoas que receberam essas notificações/multas da Rua Hermengarda. E temos certeza de que o dinheiro arrecadado com elas não servem para melhorar o atendimento aos cidadãos; já deveria haver opção online. É uma verdadeira vergonha o tratamento que os cidadãos recebem quando precisam pleitear um direito, no caso: o recurso. Tão vergonhoso como a colocação de um pardal que limita a velocidade em uma via a 40 km sem a sinalização/aviso adequado, quando 60 km estaria dentro do razoável. Seria muito bom que as autoridades municipais (que se preocupam tanto com as obras do porto), se preocupassem mais com os seres humanos que vivem, trabalham e também votam nesta cidade. Moradores afirmam que o sr. Carlos Osório declarou, em um programa de rádio, que iria anistiar as multas aplicadas nesta rua.
A AMME esta pleiteando que as multas sejam anistiadas sem necessidade de recurso e a velocidade volte para 60 km e que também essa velocidade seja a do final da Rua Dias da Cruz quase esquina com Adolfo Bergamini, onde existe outro pardal. O subprefeito prometeu agendar uma reunião com o secretário municipal de transportes e, após mais de 15 dias, até o fechamento desta matéria, não havia dado retorno aos nossos recados.
________________________________
Com pesar e saudade comunicamos o falecimento, aos 84 anos, do nosso diretor jurídico  João Batista Braga da Silva, advogado e morador de mais de 50 anos da Rua Pedro de Carvalho.

UPP no Complexo do Lins

Outubro | 2013 Ano IV – Edição 52 – AMME – UPP no complexo do Lins
POR ADMIN, SEGUNDA-FEIRA, 14 OUTUBRO 2013

Por diversas vezes não foram os tradicionais relógios ou celulares os nossos despertadores, mas helicópteros em voos rasantes à procura de bandidos e amedrontando a população de toda a região. Será que assim conseguirão prender os bandidos e acabar com o tráfico de drogas? É necessário aumentar o policiamento ostensivo nas ruas colocando mais efetivo no 3º BPM e agir orientado por um trabalho de inteligência. 
A instalação de uma UPP para o Complexo do Lins é uma questão que deve ser examinada com certo cuidado. As UPPs têm muita exposição nas mídias, e é preciso demonstrar se são realmente eficientes ou se é apenas uma jogada de marketing. Acreditamos que deverá ser acompanhada de intervenções sociais nas comunidades, pois não basta apenas a “ocupação policial”. Precisamos saber se a UPP vai ajudar a diminuir os crackeiros e a população de Rua no Grande Méier e acabar com a venda de drogas. Deve-se agir para impedir que os pontos de drogas  desçam para as ruas Lins de Vasconcelos, Aquidabã, Joaquim  Méier e outras. Não se deve somente pôr fim à exibição de armas pelos traficantes, o que é necessário, mas também acabar com a venda de drogas e outros crimes de que a população tem sido vítima nas comunidades e em pleno asfalto. Queremos providências efetivas e não apenas eufóricas manifestações de puxa-sacos do governo. Mas, temos que torcer e ajudar para que dê certo.
Outra medida indispensável é a colocação de lixeiras também no “interior” do bairro. Não é correto esquecerem as ruas periféricas, a exemplo da Rua Carijós que não possui uma única lixeira. A aplicação de multas exige que haja lixeiras em diversos locais.

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Recurso de Multas da R. Hermengarda

PARA OS NOTIFICADOS NA RUA HERMENGARDA:
LEMBRANDO QUE TEM DE HAVER MODIFICAÇÕES E/ OU ACRÉSCIMOS DE ACORDO COM CADA CASO.
ALEGAÇÕES:
A defesa está sendo entregue no prazo estipulado ”20 (vinte) dias após notificação”, a contar do recebimento da mesma. A multa é indevida, pois, fizeram a modificação de velocidade de 60 km para 40 km sem colocação da sinalização necessária. Sendo, a Rua Hermengarda VIA ARTERIAL e conforme CTB Artigo 61 parágrafo 1, quando esta não sinalizada, a velocidade permitida é de 60km/h. Houve mudança das “regras do jogo no meio do jogo". Isto é, sem prévia comunicação e inclusive sem necessidade, pois esta é uma via principal e perigosa (área de risco) devido a proximidade de comunidades que ficam no entorno da mesma, que inclusive foram pacificadas no meio do mês de Outubro de 2013. 
Vale ressaltar que o Secretário Municipal de Transporte, Carlos Osório, no programa da Radio Globo, dia 07/10/2013, afirmou que todos aqueles que foram notificados/ multados até o Mês de outubro de 2013 na via, teriam tais notificações/ multas canceladas automaticamente. Principalmente aqueles motoristas multados entre 22hs e 6hs, pois, havia placa informando que nesse horário o “pardal” estaria desligado.
Endereço para imprimir requerimento de defesahttp://www.rio.rj.gov.br/web/smtr/exibeconteudo?id=2801871

A AMME AGRADECE AO DR. RAFAEL VIEIRA QUE ENCONTRA-SE DISPONÍVEL PARA TIRAR DÚVIDAS SOBRE TRABALHO, FAMÍLIA E CONSUMIDOR PELO EMAIL raphaelvieira1@yahoo.com.br Tel: 93830695-

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Julho | 2013 Ano IV – Edição 49 || AMME – A vitória da luta

amme
Depois de serem classificados, por parte da grande mídia, e por governantes, como bando de desocupados e baderneiros, os manifestantes mostraram que o povo nas ruas consegue seus objetivos. Essas classificações só diminuíram ou mudaram, após vários jornalistas da grande mídia serem alvejados por policiais, quando começaram a crescer as passeatas.
Para nós, no Grande Méier, exemplos de conquistas da AMME, com muita luta, são, entre outras:
Retirada da concentração de presos da 26º DP e transformação em Delegacia Legal; . Impedir que acabassem com o atendimento 24 horas do PAM-MÉIER; . Reversão dos sentidos das ruas Pedro de Carvalho e Fábio da Luz; . A volta do Imperator.
A importância de participar das atuais lutas está ai: baixaram as passagens de ônibus, trens e metrô; algumas PECs foram rejeitadas; CPIs foram aprovadas para abrir a caixa preta dos lucros dos ônibus e suas relações promíscuas com governantes. Enfim, é na luta e na rua que o povo obtém conquistas e vitórias. Parabéns aos manifestantes e ao povo, que acordou.
Nós da AMME, apoiamos a CPI dos ônibus para revelar a caixa preta e os lucros das empresas. Transporte público barato e de qualidade; mais recursos para saúde e educação, com melhoria desses serviços. Apoiamos todas as manifestações pacíficas.
Lutamos pela melhoria da mobilidade e para isso no Grande Méier as ruas 24 de Maio e Dias da Cruz devem ser ampliadas conforme já existe projeto; retomar a construção do Viaduto que ligaria a rua Intendende Cunha Menezes (Rua do Rio) com Engenho de Dentro; construção de baias para ônibus pararem ao longo da Rua Dias da Cruz e outras ruas, entre outras, providências que podem e devem ser tomadas para a fluir melhor o
trânsito.

Junho | 2013 Ano IV – Edição 48 || AMME ENCAMINHA REIVINDICAÇÕES DE MORADORES

Neste mês de Junho, completará um ano de funcionamento do Centro Cultural João Nogueira e da UOP, que foi anunciado com pompa que já mais teria o seu efetivo reduzido.
O Centro Cultural, aos poucos vai fazendo jus à sua denominação “CENTRO CULTURAL”, porém faltam algumas situações para isso concretizar-se e outras demandas a serem resolvidas. Os artistas do Grande Méier reclamam,
com razão, da falta de oportunidade para apresentarem seus trabalhos nesse espaço. Procuram contato com os administradores e só obtêm respostas de que devem mandar suas propostas e reivindicações por email. Mas, nem os emails retornam e quando retornam, são sem perspectivas.
Nós, da AMME, mantivemos contato com a administração do Centro Cultural e encaminhamos diversas propostas antes mesmo da gestão terceirizada assumir e após.
Neste mês de Junho vamos voltar a nos reunir e reivindicar a realização de uma coletiva/agenda dos autores de livros e artes plásticas que residem no Grande Méier, em final de semana. Pedimos que isso tenha certa periodicidade. Queremos também a volta do “SOM LÁ NO ALTO”, Happy Hour promovido em parceria com a AMME. E mais um Seminário sobre Cultura no Grande Méier promovido em parceria com a  AMME, onde reuniríamos os artistas da nossa área para debater e discutir cultura.
O Centro Cultural também precisa que o elevador funcione, pois, recebemos várias reclamações de pessoas da 3º idade e deficientes, o que dificulta o acesso para conhecer a totalidade do Centro Cultural e chegar ao cinema ou ao terraço. É preciso cumprir a Lei nº 7.853/89 de acessibilidade. Que os alunos da rede pública tenham espaço para shows e eventos. Oferecer e garantir acesso WI-FI em todo ambiente do Centro Cultural.
A UOP, à noite, não existe mais. Só servia para reprimir as Kombis/Vans de lanches, felizmente liberadas graças à intervenção da AMME. Irregularidades à noite estão ocorrendo, diante dos poucos agentes que não tomam
providências, como por exemplo: carros nas calçadas, bicicletas e motos de restaurantes e pizzarias ocupando o passeio público sem serem molestados, entre outros. Vamos pedir novamente que reponham o efetivo à noite e de dia, mas, sem aquela ânsia de sair multando e sim orientar.
Estivemos com o comandante do BPM e pedimos providências para aumento do policiamento em várias ruas, pois diversas reclamações tinham nos chegados de criminalidade. Estamos cobrando mais providências em relação aos crakeiros e à população de rua.

sábado, 1 de junho de 2013

Maio | 2013 Ano IV – Edição 47 || AMME ENCAMINHA REIVINDICAÇÕES DE MORADORES

Nossa diretoria encaminhou vários ofícios às autoridades, apresentando reivindicações dos moradores.
. À SMDS-Secretaria de Desenvolvimento Social, manifestamos nossas opiniões e pedindo providências com relação aos crackeiros e população de rua;
. À COMLURB solicitamos melhora na limpeza, varredura, recolhimento de lixo e mais caçambas para depositar pequenos detritos, pois essas laranjas quase não existem;
. À SMTR, mais “frescões”, de preferência outra empresa a fim de competir com a atual frota, baixar o preço das passagens e ofertar mais vagas aos usuários, pois em diversos horários eles passam cheios não parando nos pontos.
Encaminhamos também outros ofícios. Alguns deles foram entregues à assessora do Subprefeito André Santos, no Café da Manhã no 3º BPM. Outros foram entregues nos órgãos públicos pertinentes. Ressaltamos que alertamos diversas dessas situações publicamente no citado evento do 3º BPM, através dos nossos diretores e também em entrevistas como no Programa Balanço Geral do apresentador Wagner Montes e outros.
O Méier é um bairro em franco desenvolvimento e crescimento com chegada de vários serviços, lojas, restaurantes, empreendimentos imobiliários e do próprio Imperator.
É necessário que haja qualidade e eficiência dos serviços públicos e que as melhorias acompanhem o crescimento da população e os problemas que surgem.
Infelizmente não é o que temos visto. Quem quiser interagir conosco, entrar (solicitação de amizade) no Facebook da AMME pelo e-mail: souzabarata@ig.com.br ; e-mail da AMME: ammemeier@gmail.com ; nosso blog: http://ammemeierrj.blogspot.com.br/; estamos também com programa de rádio pelo site: http://transameiernewsfm.com.br/.