quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Junho | 2015 Ano VI – Edição 73 – Dias Da Cruz, Capital do Méier, Abandonada e Bagunçada

4 comentários:

Anônimo disse...

Sem contar o principal o caos no trânsito, a Rua Dias da Cruz não comporta mais o trânsito em mão dupla como esta hoje, os ônibus ocupam toda a faixa fazendo com que os carros andem em passeata a cada ponto. Fora a Inversão de mão da Rua Fábio da Luz que todos os dias se leva 10 minutos para percorrer a via colocando os motoristas em risco. antes a mesma era sentido Aquidabã mais alguns pediram a inversão achando que seria melhor, mas esqueceram para quem sai pela Fábio pela manhã precisa voltar a noite pela Aquidabã onde o risco é maior.

Sinais sem sincronia, chegada ao Méier (24 de maio) um caos por causa de 2 semáforos e Saída (Marechal Rondon) Sinais sem sincronia e um a cada 200 metros.

Rafael Santos disse...

Venho por meio deste publicar meu manifesto de indignação perante a mudança de sentido do tráfego na rua Fábio Luz, fato que ocorreu há cerca de quatro anos.

Senhores, primeiramente, afirmo com veemência que não é necessário ser um engenheiro de tráfego para perceber o quão absurda foi esta decisão.
Explico:

1) A rua Fábio Luz, notoriamente residencial, é estreita: na prática possui apenas uma faixa, uma vez que sempre há muitos carros estacionados.

2)A rua Pedro de Carvalho, a qual possui um volume de estabelecimentos comerciais consideravelmente superior, é bastante larga, possuindo 3 faixas, mesmo com carros estacionados ao longo de sua extensão.

3)A rua Dias da Cruz é a principal do Méier e, portanto, o volume de tráfego e comércio é bastante intenso em toda a sua extensão. Pode-se dizer que, por ser uma via principal, a demanda de acesso à Dias da Cruz é alta. Afinal, a citada rua é caminho para muitos lugares, não só do Méier.

Tendo em vista os fatos acima expostos, pode-se afirmar o seguinte: como a Dias da Cruz é uma rua principal, são poucos os carros que saem dela dentro do Méier. Praticamente, apenas pessoas que moram ou trabalham no bairro sairão dela antes de seu final. Com isso, qualquer via de acesso à Dias da Cruz será bastante demandada pelo tráfego e qualquer via de saída da citada rua terá pouca procura (praticamente só moradores e trabalhadores do bairro, conforme explicado acima). Sendo assim, vamos à situação atual:
A Rua Fábio Luz atualmente é um acesso à Rua Dias da Cruz e, por isso, o volume de tráfego na mesma aumentou drasticamente em comparação ao que existia anteriormente à mudança de sentido. Conforme dito acima, ela possui apenas uma faixa e fica sobrecarregada. Os carros se afunilam para entrar na Dias da Cruz, o que é piorado pela presença de um semáforo posto logo após o fim da Fábio Luz. O engarrafamento é intenso.
A Rua Pedro de Carvalho é agora uma saída da Dias da Cruz e, pelos motivos expostos, está vazia. Suas três faixas agora são subaproveitadas.

Face o exposto e visando aprimorar a eficiência do tráfego no Méier, proponho a mudança de sentido nas ruas Fábio Luz e Pedro de Carvalho

Marcos Viana disse...

Prezados,

Que tal criarmos um arquivo com todas as melhorias e projetos a serem feitas no Méier? Este arquivo poderia ser classificado em assuntos que precisa do suporte do setor público e assuntos que os próprios moradores poderiam resolver.

Soraya Daquer disse...
Este comentário foi removido pelo autor.