sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Multas abusivas irritam moradores

Novembro | 2013 Ano IV – Edição 53 – AMME – Jorge Barata

Coluna AMME - Jorge BarataMultas abusivas irritam moradores
Multas aplicadas através de pardal na Rua Hermengarda, revoltam os moradores do Grande Méier. A velocidade máxima naquele local era de 60 km/h e baixaram para 40 km, sem aviso prévio. Com isso várias multas foram aplicadas, pois os moradores estavam acostumados a praticar a velocidade antiga e a sinalização não foi colocada devidamente.  Além de que é uma vergonha as dependências do posto. Enormes filas, o calor insuportável, sem bebedouro, o sistema que cai toda hora (fazendo a demora aumentar) e o péssimo atendimento dado a quem vai recorrer das notificações/multas no posto de atendimento da SMTR, dentro da XIII RA, na Rua 24 de Maio ,931, no Eng. Novo. Pessoas que ficam horas na fila e só sabem que não adiantava estar lá, pois, o sistema, além disso, só aceita recursos até a data que consta na notificação, mesmo estando dentro dos 20 dias de prazo da chegada da notificação.  Sequer dão um recibo, pedindo para aguardar a multa, depois de esperar e sofrer na fila.
Pelo jeito foram milhares de pessoas que receberam essas notificações/multas da Rua Hermengarda. E temos certeza de que o dinheiro arrecadado com elas não servem para melhorar o atendimento aos cidadãos; já deveria haver opção online. É uma verdadeira vergonha o tratamento que os cidadãos recebem quando precisam pleitear um direito, no caso: o recurso. Tão vergonhoso como a colocação de um pardal que limita a velocidade em uma via a 40 km sem a sinalização/aviso adequado, quando 60 km estaria dentro do razoável. Seria muito bom que as autoridades municipais (que se preocupam tanto com as obras do porto), se preocupassem mais com os seres humanos que vivem, trabalham e também votam nesta cidade. Moradores afirmam que o sr. Carlos Osório declarou, em um programa de rádio, que iria anistiar as multas aplicadas nesta rua.
A AMME esta pleiteando que as multas sejam anistiadas sem necessidade de recurso e a velocidade volte para 60 km e que também essa velocidade seja a do final da Rua Dias da Cruz quase esquina com Adolfo Bergamini, onde existe outro pardal. O subprefeito prometeu agendar uma reunião com o secretário municipal de transportes e, após mais de 15 dias, até o fechamento desta matéria, não havia dado retorno aos nossos recados.
________________________________
Com pesar e saudade comunicamos o falecimento, aos 84 anos, do nosso diretor jurídico  João Batista Braga da Silva, advogado e morador de mais de 50 anos da Rua Pedro de Carvalho.

2 comentários:

Ludmila e Mac Lane disse...

Eu realmente não entendo como um secretário coloca um radar destes sem comunicar ao subprefeito! Muito estranho!

Anônimo disse...

Acho um absurdo o fechamento da rua dias da cruz aos domingos. Temos outras ruas secundarias que poderiam ser utilizadas para esse fim como por exemplo rua venceslau, rua magalhaes couto, rua manoela barbosa ou ate mesmo somente o trecho inicial da dias da cruz com fim na rua Ana barbosa.

Esse fechamento prejudica o comércio e a circulação do trânsito pelo bairro.

Não sou contra a area de lazer... acho importante porém em outra rua.