terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Insegurança, Principal Reclamação

Maio | 2014 – Edição 59 – Insegurança, Principal Reclamação

Por: Jorge Barata
Coluna AMME - Jorge Barata
Insegurança, Principal Reclamação

Paira na nossa região o sentimento do medo e receio. Com a falta de policiamento estamos todos acuados. A MME faz o seu papel quando se reúne com o 3º BPM e vai para mídia reivindicar mais segurança. Roubos praticados por marginais de bicicletas (só falta ser a cavalo), disseminaram na área. Não existem mais policiais a pé, ao menos em dupla, fazendo policiamento andando em nossas calçadas. De vez em quando se avista patrulhas circulando, em velocidade rápida, passando em algumas ruas, porém, com periodicidade bem menor que em outros tempos.
É preciso que as patrulhas voltem a ficar mais tempo em áreas fixas fazendo um rodízio por ruas, isso aumenta a segurança da população.
Que o efetivo do batalhão é pequeno, isso já está divulgado e espalhado para população. Situação não só no Batalhão do Méier. Em quase todos os batalhões do Estado do Rio de Janeiro o efetivo diminuiu e muito. Está evidente que privilegiam as UPPs em detrimento da reposição do policiamento nas outras unidades. Situação que está ferrando a classe média. É preciso encontrar um meio termo e mandem o efetivo necessário para um mínimo de tranquilidade nas áreas que abrangem os batalhões. Já repararam que a mídia quase não divulga o número de policias de cada unidade.
Nosso papel é cobrar independente do efetivo. E vamos reivindicar com as autoridades e pelos veículos de comunicação que nos abrirem espaço. Se alguma autoridade fica chateada por que vamos à imprensa e fazemos estas denúncias, só lamentamos. Não estamos na luta para puxar saco de ninguém. Tratar com respeito sim, bajulações estamos fora. O que não pode é essa situação ficar como está. Será que as autoridades maiores do nosso estado estão esperando acontecer dois latrocínios (roubo seguido de morte), como ocorreu na Tijuca, para tomarem providências?

Um comentário:

Marcos Viana disse...

Não se poderia contratar uma segurança particular para que dê suporte a segurança pública no Méier? Poderia se fazer um projeto piloto com uma determinada rua do bairro.